Barulho em Condomínios

Com certeza grande parte dos condôminos já sofreu com o barulho de seu vizinho.

Você chegou tarde na sua casa, depois de um dia exaustivo, e o vizinho resolveu começar uma faxina, arrastando móveis, ligando aspirador de pó, etc.

Você mora em condomínio horizontal e a obra ao lado começa a marretar às 07h00 ou ainda há o outro vizinho festeiro, que todo final de semana liga o som no volume máximo.

A vizinha de cima só anda de salto alto, e aquele ‘toc toc toc’ passa a ser a trilha sonora da sua vida, todos os dias.

Pois bem, todo condomínio ou associação possuem regras, mas o bom senso sempre dependerá de cada um.

Eventualidades acontecem, exceções existem. Tenha tolerância, paciência e entenda que todos possuem uma rotina particular diferente.

Pessoas fazem turno, outras trabalham em horário comercial, outras são donas de casa, outras possuem filhos pequenos.

É difícil encontrarmos um edifício que possua um isolamento acústico adequado, portanto situações como esta certamente existirão em algum momento de sua vida.

Podemos dizer que por inúmeras vezes realizamos reuniões de intermediação entre as partes para resolução do problema, porém sempre ressaltando a importância do bom senso e de entender o seu limite e do outro, afinal são vizinhos!

Entendemos que o relacionamento em um condomínio deve sempre se manter saudável e feliz, com diálogo e entendimento que vão além da intervenção do síndico ou administradora.

Se cada um fizer a sua parte e tiver essa consciência, a satisfação em residir em seu condomínio se manterá pela união de todos.  

As pessoas são diferentes e possuem entendimentos diferentes, mas quando pensamos coletivamente, tudo fica mais fácil!

Portanto, se seu filho pratica bateria no apartamento, providencie o isolamento acústico do cômodo. Se chega tarde em casa, retire os sapatos de salto logo na entrada. Se só tem horário para fazer faxina a noite, calce seus móveis com feltro para arrastar seus móveis com tranquilidade.

Lembre-se, o que não queremos para a gente não devemos fazer ao outro!

A vida em condomínio testa nossa capacidade de convívio social diariamente, sim. Mas nem por isso é difícil. Temos problemas em nossas vidas, temos fases ruins, temos fases felizes, perrengues e alegrias, mas acima de tudo temos que sempre, independente de nossa fase, ter o respeito ao próximo!

Respeite seu vizinho, faça amizade, compartilhe seus momentos, ajude e ofereça ajuda, pondere o barulho em sua casa.

Feliz ou triste, todos tem limite!